Desisti de procurar namoro


Demorou, mas tomei coragem para decidir: não quero mais saber de crush, de tentativas de conhecer alguém novo, de gente desinteressante, de frustrações. Chega! 

Desde que terminei meu último namoro – vai fazer 3 anos isso, já! – que passei por todas as fases de procura pós-término: 1) primeiro a gente não quer saber de ninguém, 2) depois quer encontrar alguém antes que o ex encontre,3) depois quer encontrar alguém para esquecer o ex, 4)depois quer alguém para não se sentir sozinho; por fim, estamos OK com tudo, inclusive com a solidão amorosa, e só 5) queremos alguém para nos complementar, para dividir os dias, a vida.

Em todas essas fases, há problemas. Julgo não ser necessário falar sobre os problemas das fases 2 e 3. É bem óbvio, na verdade, que nesse momento o ideal seria permanecer na fase 1 até poder ir direto para a 4; ou, ainda mais ideal, direto para a 5. A fase 1 é OK! Todo mundo precisa desse tempo e ele é inclusive respeitoso com as pessoas que a gente conheceria só para tapar buraco ou fazer ciúmes. Vai que essa nova pessoa se apaixona por você e, você, na prática, só a está usando? Fases 2 e 3 são garantia absoluta de sofrimento para todos os lados. Todos! Um pouco de razão e auto-controle e a gente consegue se livrar dessas fases ingloriosas. Mas é difícil. Eu, por exemplo, nunca as consegui evitar. No máximo, pude diminuir sua intensidade, mas não soube evitá-las por completo.

A fase 4 é a mais traiçoeira, embora talvez exista uma chance ínfima de sucesso, de aparecer alguém legal e a gente viver juntos e felizes para sempre. Ou, talvez, por isso mesmo que ela é a mais traiçoeira. Essa vã esperança da felicidade acaba nos jogando nos braços de qualquer um. Aqui, o problema é nós nos tornarmos objetos nas mãos de quem apareça com um sorriso bonito e um corpo atraente. Uma piscadela a mais, um olhar a mais e já era: juntamos todas as nossas esperanças nessa pessoa e vamos fundo. Mesmo que por vezes ela pareça nos enrolar depois dos primeiros (ou só do primeiro) encontros. Mesmo que possa ficar claro que a intenção desse alguém fosse só sexo. Investimos, quebramos a cara, até a carência falar mais alto e irmos em busca de um outro, que inevitavelmente terá perfil semelhante. E ao quebrarmos a cara com alguém, lembramos do ex, como ele era perfeito, mas sem querer voltar com ele/ela, que fique claro.

A fase 4 é perigosa. É onde fazemos as maiores merdas se não tivermos a cabeça no lugar. É onde cometemos exceções de comportamento, permitimos coisas que não condizem com quem somos ou o que de fato queremos se não tivermos a razão como nosso guia. Aliás, novamente, a razão seria nossa única esperança contra a fase 4. 

Eu passei por todas essas fases nos últimos quase 3 anos e desde pouco mais de 1 ano que me encontro na fase 5. A 5 é a mais razoável, a mais ideal de se estar, pois nela nos respeitamos, além de respeitar o outro. Mas como o ser humano é bastante complexo, o ideal da fase 5 raramente existe em plenitude. O que acontece na verdade é um misto de fase 5 e fase 4, vem uma, volta uma pontinha da outra. Nesse vai e vem, estou desde o final de 2014. 

Na Páscoa, porém, a fase 5 entrou em um estágio de cansaço: cansei de conhecer pessoas que no fundo nunca chegaram na fase 5 – ao que parece, todas elas. Não querem conhecer alguém, querem pegação e fim. Imagine que recentemente – antes da Páscoa – conheci alguém, aparentemente super legal e fofo, que depois do primeiro encontro reclamou que fiquei conversando demais e faltou ação. Disse que foi massante, mas que tentaria novamente, sugerindo dormirmos juntos e tal. Bem louco, não? Se você nunca chegou nessa fase 5, de estar confortável com a própria solidão e gostar da própria companhia, talvez você não entenda isso. Na fase 5, não queremos mais qualquer um, e embora adoremos um bom sexo, transar com alguém que mal conhecemos e cujos sentimentos para conosco sejam ainda um enigma é algo fora de cogitação.

No meu caso, o problema é que virtualmente todo mundo não tem interesse em ou não sabe conhecer alguém novo. Interessa só os finalmentes, que serão passageiros e ficam assim para sempre, o relacionamento não evolui, não sai disso. Um horror!

Eu prefiro ficar sozinho a me desgastar, a jogar minhas energias fora com paixões desse naipe. Na Páscoa eu já havia decidido: chega de ir atrás de gente nova. Isso nunca deu certo para mim. Que a vida se encarregue de trazer a pessoa certa, caso esse seja o desejo dela. É o meu, mas me conformo com esse mundo em que as pessoas não sabem mais se relacionar umas com as outras fora de um aplicativo de celular e vou cuidar das outras áreas da minha vida. Afinal, se é como dizem, azar no amor, sorte em todo o resto, vamos aproveitar. 🙂

PS: Só para reforçar, impossível eu sair novamente com qualquer um que eu saiba ter achado “massante” sair comigo no primeiro encontro. Fiquemos mesmo só na amizade, se é que isso é possível. 😉

Anúncios
Esse post foi publicado em Namoro, Relacionamentos, Sentimentos e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Desisti de procurar namoro

  1. FireKilljoy disse:

    Estou pulando da 4 e 5, e simplesmente cansado de procurar alguém. Simplesmente não dá mais, as pessoas estão muito fúteis, e quem não é fútil deve estar escondido em casa do mundo lá fora. Triste realidade.

  2. pedro disse:

    No meu caso eu cansei de procurar alguém , vou me permitir ser achado , o único problema é que ninguém parece querer me achar …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s