Questões

James Hollis já dizia o quão importantes são as questões para nossa vida. Uma vida sem questões é uma vida vazia, sem crescimento psicológico/espiritual. Concordo com ele, concordo mesmo. Porém, tem horas que eu realmente gostaria de algumas respostas!

Muitas respostas, de fato, são novas perguntas. Muitas vezes, quando resolvemos uma questão, diversas novas interrogações surgem como resultado. E é assim que vamos progredindo, dosando a reflexão com a ação, crescendo da única forma que somos capazes: a conta gotas.

Veja um exemplo (bem pessoal) dessa progressão interrogativa. Questão: sinto-me vazio, triste. O que está errado? Resposta: O que estou fazendo me agrada? Tenho sido eu mesmo em todos os aspectos de minha vida? (Perceba que a resposta é por si só novas questões. Continuemos…). Se o que faço não me agrada, então por que faço isso? Por quais motivos escolhi essa carreira e não outra? Ainda dá tempo de escolher outra? A mudança será vantajosa? Estarei sendo eu mesmo se mudar? Nos outros aspectos de minha vida, se não tenho sido eu mesmo, por que isso acontece? Quais os motivos para não ser eu mesmo? Existem coisas em mim mesmo que não aceito? O quê? E por quê? Como faço para mudá-las? Quero mudá-las pelos motivos “corretos” ou mudá-las para atender caprichos e coisinhas mal resolvidas do meu inconsciente?…

Bom, acho que é o suficiente como exemplo. É fácil notar que esse processo pode continuar e continuar e continuar e… Capisce? O pior é que, quanto mais “respostas” conseguimos (ou deveria dizer “novas perguntas”), mais queremos continuar nesse caminho. É deveras tentador, viciante. Mas devemos ter cuidado para que o excesso de questões, o excesso de reflexão não trave a ação. Deixar de agir porque pensamos e pensamos e pensamos e… é tão ruim quanto, se não pior que, não ter questão nenhuma e viver o vazio, a melancolia, a vida ao deus dará. “Prefiro a morte que a mediocridade” (certo?).

Faltam menos de 2 semanas para eu concluir o desafio de 1 ano deste blog (se não sabe do que estou falando, leia aqui). Contudo, vejo-me tão longe de algumas respostas que gostaria de ter neste momento. Respostas que precisam se desenvolver em um outro punhado de novas interrogações, mas que precisam ser desenvolvidas o quanto antes de forma a não impedir a ação. Será que consigo?

352 dias já foram. Faltam 13

Esse post foi publicado em Caminhando e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Questões

  1. Julie disse:

    Claro q consegue! A conta gotas, como vc mesmo disse. Somos tão pequenos no universo, mas tão fundamentais, essenciais, importantes como TODO! Leveza, equilíbrio! Questione, sim, mas tb viva os pequenos detalhes agora e contemple o belo agora. Por exemplo, saia um pouco do seu EU profundo e contemple uma das paredes do quarto onde está. Olhe bem pra ela e pense em quem a construiu, o q será q ela sentiu, pensou ou falou ao erguê-la. Qual será a historia desta pessoa. Td tem vida, até uma parede! Sair um pouco do foco alivia o nosso ser e dá leveza a vida! Nem sei pq disse td isso. Apenas veio e eu postei😛 obrigada por compartilhar eedte quase um ano de blog. BFF, luv you!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s