A Canção do Silêncio…

Você já saiu e se comportou de forma como não costuma? Talvez tenha se tornado mais tímido que o normal, ou falado de mais para, de forma inconsciente, esconder quem você de fato é. A timidez, por exemplo, pode ser uma maneira de não se mostrar, talvez por medo de que o mundo vá te julgar negativamente, te olhar torto? Aí, você que sabe ser divertido, engraçado, despojado e de bem com a vida, se transforma em uma sombra, em um fantasma em determinada situação. É até capaz de esquecerem que você está ali.

E, pior, se tal comportamento existe porque você acha que aquele seu Eu de verdade é repugnante. Ninguém vai gostar dele. Ninguém de quem ele gostar vai gostar dele de volta. Aquela vozinha interior que fica desafiando o Eu Lógico? Sabe? Deixar de se mostrar para não correr o risco de ser rejeitado.

Pode ser que esse medo de rejeição venha de longe, do passado bem passado. Talvez aquele pai, que, suponhamos, bebia de mais e, por isso, a mãe criticava, rejeitava. Ou, ainda, quando o pai e a mãe se separaram porque o pai não foi capaz de escolher os filhos, mas “escolheu” a bebida. Pode ser, quem sabe? Pode ser tanta coisa, a gente fica só nos exemplos.

Esse medo de rejeição pode ter sido intensificado com a primeira garota com quem ficou, que acabou te humilhando, de certa forma, mesmo depois tendo ficado com você. Ou pelo fato de você gostar também de pessoas do mesmo sexo e se sentir menor, diminuído, por causa disso, seja por piadinhas idiotas na época do colégio ou até mesmo uma reação nada positiva da família a esse assunto. Tudo só no “talvez”, vai saber.

Aí, por causa disso tudo e muito mais, chega uma hora que você trava, achando que nunca mais vai merecer o amor de alguém na vida. Pior ainda, você encontra pessoas de quem você gosta e que gostam de você, mas você foge delas, pois elas simplesmente fazem você lembrar que você também é uma delas. Ah, tanta gente legal e que valeria a pena. Já aconteceu isso contigo? Se não, talvez o contrário, ficar com gente que vai com certeza te rejeitar em algum momento, porque se encaixam na descrição “você não é bom o suficiente para elas”? Isso já?

Bom, pode ser que sim. Pode ser que não. De um jeito ou de outro, de uma maneira assim ou assado, cozido e torrado. Mas essas coisas acontecem, por aí, com pessoas, iguaizinhas a eu e você. Pessoas. Que podem estar gritando através da doce melodia do silêncio, pedindo para serem elas mesmas e esquecerem aquela vozinha, a madrasta má, que teima em dizer que elas não prestam, seja lá pelo motivo que for.

Isso tudo merece uma canção. Divirta-se: The Sound of Silence – Simon & Garfunkel

249 dias já foram. Faltam 116

Esse post foi publicado em Amigos, Família, Namoro, Passado, Relacionamentos, Sentimentos, Sexualidade e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para A Canção do Silêncio…

  1. Rodrigo disse:

    Simplesmente maravilhoso. Adorei o texto, criativo, sensato, brilhante!

    Meus parabéns.

  2. Julie disse:

    sinto isso o tempo todo! não sei se sou isso ou aquilo e nem quando nem pq! procuro refletir sobre as situações e pensar nos motivos pelos quais agi assim ou assado, dourado ou torrado! é assim…sempre! às vezes cansa, e por vezes não…a vida como ela é…o q importa é o sentimento q fica e a liça aprendida ou esquecida…bjos querido.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s