Na trilha outra vez

Um de meus primeiros posts aqui no blog se referia à alimentação que eu tinha e que precisava mudar. Corrigir a alimentação para algo mais saudável, natural e nutritivo, além de me fazer sentir bem e mais disposto, era um sinal claro de que eu estaria em paz comigo mesmo a ponto de controlar o que comia e não cair na autossabotagem. (É tão estranho escrever essa palavra com 2 “s” nessa nova ortografia…).

Mas o fato é que eu não conseguia. Mais do que isso, não desejava comer de forma correta. A comida preenchia os vazios da alma, a solidão, as indecisões, os buracos deixados por algo que não sabia ou não queria identificar. Tentei algumas vezes e nada, qualquer coisinha era motivo para abrir excessões, para exagerar (e me refiro aqui ao excesso de um bulímico, que come em um único instante o suficiente para todo o dia ou mais, só que eu vivia com o excesso, nada de tentar reverter esse resultado, como de fato faz aquele que sofre de bulimia).

Sabe? O mais chato é não querer acertar a alimentação. É desejar o excesso. Isso em si era um ato de autossabotagem, de castigo. Como se eu me culpasse em segredo, segredo de mim mesmo, por algo muito, muito grave. Mas o quê? Como sequer tentar entender o motivo se, conscientemente, eu não fazia ideia do que acontecia?

Até que, umas duas semanas atrás, entrei em uma crise depressiva muito forte, coisa que não me acontecia havia muito, muito tempo (vide meu penúltimo post). Foi quando pensei “do jeito que estou fazendo com a alimentação, estou me matando, de onde vem tanta raiva, tanto ódio de mim mesmo?” Exames de sangue com colesterol e triglicérides elevados, aumento de peso (foram 15kg em menos de 2 anos), entre outros sintomas só reafirmavam meu questionamento. Por quê?

Junto com essa crise, acho que encontrei a resposta. Mesmo! E ela tem tudo a ver com o período em que engordei os 15kg. Absolutamente tudo a ver. Então, como em um passe de mágica, comecei a comer corretamente, seguindo tudo o que minha nutricionista tinha me ensinado a comer quando fiz, alguns anos atrás, reeducação alimentar. Assim, do nada, sem esforço, sem sofrimento. Fato é que a alimentação tem tudo a ver com nosso estado emocional. Quer emagrecer? Faça terapia! Eu estou fazendo. =)

176 dias já foram. Faltam 189

Anúncios
Esse post foi publicado em Alimentação e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Na trilha outra vez

  1. Max disse:

    Espero que tenha saído da crise depressiva. Não sou de fazer comentários em blogs, mas dessa vez, deu vontade. Ainda bem que corrigiu a alimentação. *-*

    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s