Autoaceitação

Make Love , Not War. É bem por aí. Que tipo de coisa você não aceita em si mesmo? Um tipo de pensamento? Um tipo de ação? Algo em seu jeito de ser, de falar, de agir que não é possível mudar? Você considera isso errado? Por quê? O que o faz pensar assim?

Acho pouco improvável você, sendo sincero consigo mesmo, não ter respondido “sim” para algumas das questões acima. “E qual o problema eu não aceitar algo ou me culpar por isso?” Na verdade, todos os problemas. Tenho analisado essa questão e gostaria de usar duas situações pessoais como exemplo para comprovar meu ponto de vista. Vamos lá?

1 – Tem um tempo que não tenho comido direito ou cuidado de mim apropriadamente, por diversas razões, incluse projeção ou uma forma inconsciente de dizer “você merece isso”. No caso, vim alimentando minha sombra assim e, isso, acabou ajudando a gerar um círculo vicioso e continuei a comer errado, mesmo não respeitando o que meu próprio organismo pedia. Resultado? Engordei, colesterol e triglicérides subiram às alturas, etc.

O que tenho tentado fazer agora é aceitar e parar de me culpar. Não só o fato de ter exagerado diversas vezes, mas principalmente os motivos do “você merece engordar, etc.” E isso seria motivo de um post novo todinho. Se eu não me julgar, entender que tudo bem, isso acontece, let’s move on e fazer melhor nas próximas vezes, garanto que o poder da sombra, nesse caso, diminui, faltando, então, pouco para transcendê-la.

2 – O primeiro caso é algo que realmente eu posso mudar. Ter compaixão para comigo mesmo, aceitar que tudo bem eu ter errado, bola pra frente, eu não sou uma péssima pessoa por isso, etc. Isso ajuda resolver e é grande parte da solução final.

O mesmo pode acontecer com os casos que não podemos mudar. Principalmente se isso que não podemos mudar não é de fato errado, mas assim o consideramos por causa da nossa criação, das coisas em que acreditamos desde pequeno, de como as pessoas que nos são importantes reagem em relação a isso. Coisas como nossa sexualidade, o fato de sentir atração por pessoas do mesmo sexo, que nem sempre se “encaixa” no esperado pela maioria. Autoaceitação, também nesses casos, é aceitar a sombra e transcendê-la. No que diz respeito à nossa felicidade, não é opcional.

91 dias já foram. Faltam 274

Anúncios
Esse post foi publicado em Alimentação, Sexualidade e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Autoaceitação

  1. Andrea Foltz disse:

    Caro Strider[?],
    Adoro ler artigos que abordam a sexualidade e ainda mais a homossexualidade. Pude ver que você tem um cuidado especial em tratar desse assunto. Muitos blogs têm abordado esse tema, porém nem todos de uma maneira livre de preconceitos. Daí a diferença do nosso trabalho!
    Parabéns pelo artigo e continue no caminho de esclarecer e abrir as mentes para a realidade que nos cerca e que muitos querem subjugá-la!
    Beijocas!
    Andrea Foltz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s